Treinamento em Circuito

O treinamento em circuito foi concebido em 1953 na Universidade de Leeds (Inglaterra) por R.E. Morgan e G.T. Adamson. As causas principais da criação deste método foram as dificuldades climáticas da Europa e impossibilidade de adaptação do treinamento intervalado a recintos fechados, devido a inexistência de locais amplos.

Características Básicas do treinamento em circuito

É um método misto empregado principalmente no período preparatório básico, pois tanto se presta para o condicionamento cardiopulmonar como para o neuromuscular. Pode ser dosado para trabalhar qualquer um dos sistemas energéticos pela correta utilização de estímulos e intervalos.

É caracterizado pela utilização de vários exercícios em estações dispostas originalmente em forma circular, podendo ser (atualmente) encontrado sob diversas outras formas. Um circuito pode conter de 6 a 15 estações, sendo que cada estação contém exercícios com ou sem a utilização de aparelhos.

Vantagens:

– Resultado a curto prazo;

– Possibilidade de um treinamento físico podendo ser utilizado para um grande número de atletas;

– O ritmo individual é adquirido pelo atleta;

– Possibilidades de grandes resultados;

– Treinamento mantido em climas desfavoráveis;

– Motiva à prática pelas mudanças de exercícios.

Desvantagens:

– Sendo um método misto apresenta dificuldade de mensuração;

– Situa-se em nível inferior aos métodos de cargas intervaladas e contínuas no campo do preparo orgânico;

– É de importância inferior aos métodos de musculação no campo do preparo muscular;

– Para atletas de alto nível se situa num plano inferior.

Circuito anaeróbio

Características: O treinamento em circuito anaeróbio se caracteriza por possuir estações de alta intensidade e curta duração, separadas por estações de baixa intensidade que propiciem a diminuição do acúmulo de ácido lático. Os atletas executam as passagens em débito de oxigênio.

Finalidade: É um circuito ideal para a introdução de estações de velocidade e força explosiva.

Os intervalos entre as estações poderão caracterizar-se como pausas entre os esforços, não deverão constituir como um fator de continuidade.

Controle da sobrecarga: As sobrecargas poderão ser feitas, exigindo-se maior ritmo de execução, maiores cargas nas estações, ou ainda menores intervalos nas recuperações entre as passagens de um circuito.

Circuito aeróbio

Características: O treinamento em circuito aeróbio se caracteriza por estações menos intensas, de maior duração e maior homogeneidade, no esforço executado. é formulado para desenvolver a resistência aeróbia. Deverá compreender as passagens pelos atletas sem ultrapassar seus limites individuais do “Steady-State”. Será realizado em ritmo moderado pelos atletas, no qual não será possível formular-se as estações de velocidade e força explosiva. É o circuito indicado para a colocação de estações de resistência muscular localizada.

Nas pausas entre as sessões, o atleta deverá manter uma continuidade de uma estação para a outra, para que o esforço se caracterize como prolongamento.

Controle da sobrecarga: A aplicação do princípio da sobrecarga deverá ser feito com o aumento do número de passagens ou número de repetições de exercícios nas estações.

Fonte: Teoria e metodologia do treinamento desportivo / Elto Legnani

Written by Marcelo Ponce

Marcelo Ponce é um corredor de trilhas que utiliza a internet para compartilhar suas percepções em relação à prática da corrida. Sempre desafiando horizontes inóspitos, ele absorve longas distancias tomando auroras e crepúsculos como seus testemunhos. Sua força mental incrementa a resistência física, e com base em suas experiências ele adotou o pseudônimo Atleta Zen.